Notícias

Battistotti e Rubinho recebidos em audiência pelo Governador Carlos Moisés

Battistotti, Rubinho, gov Moisés e deputado Minotto em audiência no Palácio Foto: João Manoel Neto / SECOM

O presidente licenciado do Avaí e da Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina, Francisco José Battistotti, acompanhado do presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Rubens Angelotti, renovaram o pedido para a volta do futebol Catarinense, durante audiência na manhã desta terça-feira (12), quando foram recebidos pelo Governador do Estado de Santa Catarina, Carlos Moisés, na Casa da Agronômica. Participou da audiência o deputado Rodrigo Minotto (PDT), que intermediou o encontro.

Na audiência, o Governador ratificou o decreto publicado nesta segunda-feira (11), que liberou os clubes profissionais de Santa Catarina para treinarem fisicamente em suas instalações, seguindo o rígido protocolo de segurança. São 24 itens para serem observados pelos clubes e fiscalizados pelos profissionais da saúde. Os prefeitos destas cidades que têm clubes na Primeira Divisão, precisam ser ouvidos e concordarem com a liberação.

O governador Carlos Moisés também decidiu pela criação de uma comissão que vai analisar todos os pontos para a retomada do futebol, conforme o Protocolo. O médico Luís Fernando Funchal, chefe do Departamento Médico do Avaí, fará parte da comissão que analisará a volta do Catarinense, em apoio a este estudo realizado.

Battistotti e Rubinho renovaram pedido para que governador e sua equipe estudem a possibilidade de o Campeonato Catarinense voltar a ser disputado e concluído. Foi sugerida a data de reinício para o período de 1 a 5 de junho. Faltam seis rodadas para o complemento da competição. Três semanas (21 dias) para a conclusão da competição.

O presidente Battistotti agradeceu a disponibilidade do Governador Moisés em receber os clubes e o futebol catarinense. “O Governador tem feito um excelente trabalho para evitar o avanço da pandemia e salvando vidas. A maioria não entende a importância do futebol e a necessidade de os atletas estarem em atividade. Todos dependem de força e treinamento para fazer o seu trabalho. O governador entendeu e liberou a prática física agora”.

Ainda segundo o presidente Battistotti, “mostramos ao governador a importância da volta e o compromisso com o futebol, dos 10 clubes da Primeira Divisão, competição que envolve diretamente mais de 1.300 pessoas e indiretamente mais de 2.600. O governador vai analisar nosso pedido. Nos colocamos à disposição, pois se autorizar a volta do futebol, com portões fechados, e os números de contágio começarem a subir, ele pode parar novamente”, acrescentou.

Outro detalhe após a liberação para os treinos físicos, segundo Battistotti, é que o Avaí vai aguardar agora a posição do prefeito Gean Loureiro, que foi procurado e prometeu uma resposta para breve. “Mesmo que o prefeito autorize, o Avaí só voltará a trabalhar fisicamente com o grupo nas instalações do clube, após a completa avaliação dos testes para a COVID-19 realizados nos atletas e comissão técnica”, disse.