Notícias

Juti visita a Ressacada e relembra título de 75

20160825 Juti visita a Ressacada FOTO Jorge DauxO Avaí Futebol Clube recebeu na tarde desta quinta-feira (25) a visita especial do ex-atleta Juti. Artilheiro do Campeonato Catarinense de 1975, com 28 gols, Juti foi autor do gol que deu o título ao Avaí na casa do seu maior rival, em 17 de agosto de 1975.

Juti, que hoje reside em São Leopoldo-RS, foi recepcionado pelo presidente Francisco José Battistotti. Em seguida foi ao gramado e conheceu os setores de Marketing e Comunicação do Avaí.

“É sempre uma alegria muito grande voltar onde fizemos e temos muitos amigos. Foi aqui no Avaí que passei bons momentos da miha vida, conquistando inclusive o título de Campeão Estadual de 1975 diante do Figueirense”, relembrou Juti.

JUTI (Juarez dos Santos)

Artilheiro do campeonato catarinense vencido pelo Avaí, em 1975, com 28 gols, Juti foi contatado pelo Leão por indicação do técnico Jorge Ferreira, em março de 1974. Era atleta do Juventus, de Rio do Sul, onde costumava jogar como ponta esquerda/ponta-de-lança. No Avaí, consagrou-se como centroavante. Em seu primeiro ano de Avaí, Juti foi contratado por Cr$5 mil em luvas, mais 2,5 mensais. Em seguida renovou para o Catarinense de 1975, sua melhor temporada.

Sua partida inesquecível foi numa tarde de domingo, em 17 de agosto de 1975, um clássico em território inimigo, com um Orlando Scarpelli lotado e valendo o título estadual. O ônibus que levava a delegação do Avaí do Hotel Valerim, no centro de Florianópolis – onde ficava a concentração dos atletas – quebrou no caminho para o estádio Orlando Scarpelli, perto da churrascaria Riosulense. O técnico Áureo Malinverni ordenou que os jogadores trocassem os seus uniformes e fossem à pé até o estádio, passando por entre a torcida adversária. Felizmente ninguém foi reconhecido. Na entrada do estádio, Juti lembra ter escutado um torcedor gritar ao técnico Lauro Búrigo, do Figueirense: “Se cuidar do Juti e do Zenon, o Figueirense é campeão“.

Foi a dupla temida pelo torcedor alvinegro a responsável pelo gol que deu ao Avaí o título da temporada naquele ano. Aos 22 minutos do segundo tempo, Souza cobrou rápido uma falta e passou a bola para Zenon. Pela lateral direita, Zenon driblou Luiz Éverton e chegou à linha de fundo depois de deixar Casagrande e Orcina sentados no gramado. Quando viu Zenon fazer fila driblando todo mundo, Juti saiu correndo e se colocou na área, atrás de Vanderlei, goleiro do Figueirense, porque sabia que Zenon faria o cruzamento. O cruzamento saiu alto e Juti tocou de cabeça para as redes, num golaço inesquecível.

Ao fim da partida, a torcida avaiana invadiu o gramado do Scarpelli e arrancou até as traves. Juti foi o primeiro a conseguir entrar no vestiário, depois de driblar os torcedores avaianos que tentaram impedi-lo de sair de campo. Cansado, sentou-se numa cadeira enquanto tomava uma garrafa de água mineral. Naquele momento, misto de êxtase e exaustão, teve a consciência de que tinha entrado para a história.

Após se consagrar com os lançamentos de Zenon, em 1975, ambos deixaram o Avaí para defender o Guarani, de Campinas (SP). Juti retornou ao Leão da Ilha para uma breve passagem em 1979, permanecendo entre julho a agosto daquele ano. Ao aposentar-se trabalhou com secretário de esportes em Novo Hamburgo e ministrando aulas em escolinhas de futebol no município de Campo Bom.

No campeonato estadual de 1975, Juti disputou 38 das 41 partidas do Avaí, marcando dez gols a mais do que o vice-artilheiro. Dos 12 clubes que disputaram a competição, Juti só não marcou contra o Próspera. Os 28 gols do artilheiro de 1975 foram assim divididos: Figueirense (4), Chapecoense (4), Internacional (4), Carlos Renaux (3), América (3), Guarani (2), Palmeiras (2), Juventus (2), Marcílio Dias (2), Caxias (1) e Hercílio Luz (1).
Referências:

– CARDOSO, Marcelo H. Anuário do Campeonato Catarinense de 1975. Florianópolis: Memória Avaiana, 2015.
– KLÜSER, Adalberto; MATOS, Felipe. & DIAMANTARAS, Spyros. O Time da Raça – Almanaque de 90 anos do Avaí Futebol Clube, 1923-2013. Florianópolis: Infinita Leitura, 2014.
– Site Memória Avaiana.