Notícias

Quarteto fantástico leva qualidade da base ao profissional do Avaí

Gaspar, Tucão, Luan e Thiaguinho em novo desafio entre os profissionais Foto: André Palma Ribeiro / Avaí FC  

O Avaí tem nas categorias de base um pilar importante para sua sustentação no futebol, com a revelação frequente de bons valores para a equipe profissional. Ganho em qualidade técnica, com resultados e em vantagens financeiras, com boas negociações. A esperança é sempre em cima de boas revelações para quem já sabe o caminho das pedras.

Depois de revelar grandes valores que foram negociados para fora do país e outros em destaque em clubes do Brasil, o Avaí promoveu na semana passada para a equipe profissional, mais quatro valores que têm tudo para dar o retorno que o clube deseja. São atletas com grande potencial técnico, escolhidos a dedo por quem sabe avaliar talentos.

Luiz Eduardo Gaspar, conhecido por Gaspar nas categorias de base, 17 anos, atacante de beirada; Tucão, 18 anos, atacante de lado, mas que também joga centralizado; Thiaghinho, 19 anos para completar 20 anos logo, meia canhoto, habilidoso e inteligente. O corpo franzino esconde um talento incrível, já tendo sido campeão da Copa São Paulo pelo São Paulo FC onde também chegou ao profissional; e por último Luan, segundo volante, qualidade incrível e que poderá render grandes frutos ao clube. Foi destaque na Copa São Paulo de Futebol Junior deste ano.

Depois de quase uma semana incorporados ao grupo principal, onde foram bem recebidos pelos profissionais e passaram pelo tradicional trote do corte de cabelo, ganharam agora novos ares. Esta semana chegaram a figurar em trabalho com bola em meio aos profissionais, onde puderam mostrar em pouco tempo de ação, a qualidade que os credenciou ao grupo principal.

Fala gurizada: 

Luis Eduardo Gaspar, atacante de lado, conhecido por Gaspar nas categorias de base, falou que não esperava subir tão cedo. “Foi muito rápido. Meu objetivo agora é brigar por espaço, aprender bastante. Com apenas 17 anos, estar aqui é um sonho, espero vencer, fixar minha presença junto ao grupo e ajudar. Tenho condições, quero ser profissional e estou feliz”, completou.

O atacante Emerson Fabrício G. Calbuch, ou apenas Tucão, 18 anos, natural de São José – SC, chegou ao profissional aos 16 anos. Depois ficou afastando para competições até retornar novamente agora. Está no clube desde os 11 anos de idade. É uma vida de grande aprendizado. “Recebi novamente esta chance e não quero desperdiçar. O grupo me recebeu muito bem. Quero agradecer ao Diogo, sempre um olhar atento sobre nós, ao Marquinhos M10 que dá uma força incrível. Quero dar o meu melhor, pois não vim aqui para brincadeira”, falou Tucão.

O meia Thiago Silva, ou simplesmente Thiaguinho, atleta canhoto, tem uma grande experiência. “Muito feliz em ser promovido. Será um grande desafio para mim, mas quero ter o meu espaço, brigar por vaga na equipe, ajudar o Avaí a retornar à Série A. São metas que estão em minha cabeça”, disse.

“Quero muito agradecer a todos que confiaram no meu futebol. É aqui que quero ficar. Uma honra grande estar no profissional do Avaí, a confiança que depositaram em mim. Agradecer ao professor Diogo, Marquinhos e ao corpo funcional, que sempre me incentivou e esteve presente”, disse Thiaguinho.

O volante Luan Silva é outro destaque que subiu para a equipe profissional. Bastante tímido em frente aos microfones, mas longe deles é um jovem muito brincalhão e dedicado. “Se tive a oportunidade da promoção é porque viram em mim qualidade. Meu objetivo é ter oportunidade para estar jogando. O Avaí faz um excelente trabalho no base. Quero retribuir tudo que fizeram por mim. Vou lutar pelo meu espaço, já que a oportunidade foi dada”, completou.

O papo com Diogo Fernandes

“A subida desses atletas das categorias de base ao profissional vêm contemplar o trabalho que a categoria alcançou ao longo dos anos, formando talentos promissores para a profissional. Então, nós vamos estar sempre lutando para ratificar a subida desses atletas e dar continuidade em suas carreiras”, disse.

Ainda segundo Diogo, coordenador de futebol, o Avaí sempre trata com muito respeito as categorias de base e os profissionais que lá atuam. “O clube abre as portas e vê a importância desses atletas estarem inseridos na equipe profissional. Não só os quatro que subiram agora, mas os outros que a gente pretende subir”, observou.

“O Avaí foi importante para contemplar o que os meninos necessitam. Reforçamos que na base eles tiveram um trabalho muito bem desenvolvido, tanto é que despertaram o interesse dos profissionais. O clube sempre foi importante para completar o que eles necessitavam. Agora estão no processo final deles, que é a revelação. Futuramente vão ajudar a equipe profissional. Estou feliz por esses meninos estarem aqui na categoria profissional e mais feliz por ter lá outros que poderão também subir pelo talento que têm. Nossos agradecimentos ao presidente Battistotti, que investe bastante na base. Que o Avaí possa dar continuidade a este processo de revelação de talentos”, finalizou.

Fala aí, Maquinhos

O gerente de futebol Marquinhos Santos fala com muita propriedade desses valores da base que estão agora no time principal. Afinal, o maior artilheiro da Ressacada e várias vezes campeão pelo clube, sabe o que isso representa, por ter trilhado todo este caminho.

“A vinda desses meninos, na verdade, é para eles se acostumarem com o ambiente da equipe profissional. Muitas vezes a gente bota uma carga muito grande nos meninos que sobem da base, mas a gente não costuma prepará-los para o que virá pela frente. Pegar o ritmo do profissional será importante para o momento em que forem lançados”, disse Marquinhos.

E completou destacando que já passou por isso. “Sei como funciona na cabeça de cada um deles. Temos que prepará-los, pois a cobrança no profissional é muito diferente da base. A vinda deles só vem engrandecer o que o Avaí sempre fez, que é valorizar sua base. E mesclar com o grupo experiente que a gente tem hoje, um grupo vitorioso. Eles subiram pela qualidade, são meninos com grande potencial. A gente fica muito contente com o desenvoltura deles. Que tenham vida longa na carreira profissional”, concluiu.

Thiaguinho é meia canhoto e tem 20 anos Fotos: André Palma Ribeiro / Avaí FC

Atacante Tucão, 18 anos, nasceu em São José. Empolgado com a oportunidade

Luan, 20 anos, destacou-se na última Copa São Paulo e atua como volante 

Atacante Luis Eduardo Gaspar, 17 anos, atua pelos lados do campo

Coordenador Diogo destaca o trabalho de base realizado pelo Avaí

Gerente de futebol Marquinhos Santos dá muitas dicas ao garotos promovidos